Ir a la web
Artículo técnico

A vida útil dos sistemas de proteção contra incêndios

11 abril, 2013
La vida útil de los sistemas de protección contra incendios

A vida útil dos sistemas de proteção contra incêndios

A instalação do Comite Setorial de Manutenção e Engenharia de Sistemas e Equipamentos AESPI  Tecnifuego-técnico, assina um artigo interessante na última edição da revista da associação intitulada “A Vida útil dos equipamentos de segurança contra incêndio”. Como afirmou Manuel Martinez, o campo dos profissionais de segurança contra incêndio já algum tempo tentam reivindicar  o prazo máximo para a vida de equipamentos mecânicos e elétricos. Uma vez  que o funcionamentos deste equipamento é limitado, uma vez  superados, deverão ser substituídos e substituídos por o novo modelo.

Ao contrário de outro tipo de instalações, na Proteção Contra Incêndio passam a maior parte do tempo no estado inativo, apenas verificando se eles funcionam corretamente aquando da realização do serviço de manutenção ou  em caso de alarme. Daí a necessidade de reconsiderar os seus períodos da vida.

Embora existam certos dispositivos de protecção contra incêndios que são alvo de análise de conformidade  durante período de funcionamento, tais como extintores de incêndio, e normalmente têm uma vida útil de 20 anos de fabricação. O caso muda de figura  noutros tipo de produtos como sistemas sistemas Extinção por  água ou de proteção contra incêndio com mecanismos elétricos.

Neste sentido, os serviços de instalação, manutenção e engenharia de sistemas  e equipamentos, apontam para que este período da vida, seja determinado a partir da implementação do sistema, considerando diversos parâmetros de operação e desgaste, dependendo dos testes realizados  por organizações internacionais.

Este é o caso do teste HALT  (Teste de vida altamente acelerada) e HASS (Screening estresse Accelerat ed Higly), que avalia a vulnerabilidade dos materiais e sistemas, nos quais possam apresentar potenciais falhas, em situações  climatéricas usuais. Sendo assim, os testes de “envelhecimento” acelerado ambientais permitem que as equipas de engenharia localizem as insuficiências ou falhas desses equipamentos, para melhorias e sempre que necessário, removam a incerteza sobre o bom funcionamento do produto.

Uma vez que a Cottes Group é membro de várias e importantes associações ligadas à segurança contra incêndio, vamos tentar promover e concentrar-nos na fiscalização e controlo de todos os equipamentos de segurança contra incêndio, tendo em conta a vida útil destes equipamentos. Esta essencial atenção, vai finalmente melhorar a qualidade, eficiência e fiabilidade,  garantindo a maior segurança para as pessoas e bens.

Nesta perspectiva, lembramos que em breve poderá ser lançado novos regulamentos para as Instalações de protecção contra incêndios, pendentes de aprovação por parte das respetivas e competentes empresas Estatais, e que, como novidade,  seja necessário regular ainda mais a instalação e manutenção actividades dos sistemas de controlo de temperatura e evacuação de fumos SCTEF, que confirma a boa execução dos profissionais responsáveis nestas tarefas.

You Might Also Like

Sin comentarios

Comentar